Amenidades: supermercado

10 Jun

Sabe quando você está no caixa de uma loja pagando sua compra e o atendente está conversando com o caixa ao lado sobre coisas bizarras? Eis uma coisa que me constrange. E que acontece muito.

O Sr. Forte acredita que conversar com essas pessoas, em alguns casos, é um bom exercício de socialização. O cara trabalha numa pressão fudida pra ganhar um salário mais fudido ainda. Atravessa a fronteira entre Curitiba e a Fazenda Rio Grande pra ficar atrás do caixa de um supermercado passando compras e empacotando coisas, muitas das quais ele nunca poderia comprar. A sua compra da semana equivale ao salário do cara, pensa. O Sr. Forte acha que conversar amenidades com essas pessoas as deixa mais felizes.

Reflexões à parte: quantas vezes você está ali, passando as compras, e escuta coisas que não gostaria? Se você costuma ir ao mesmo supermercado, como eu, já conhece os caixas. Às vezes escuta um pedaço da história da vida dele, como era com o mocinho que trabalhava num mercado no Cabral. Eu sabia a hora que ele entrava, saía, quantos ônibus pegava, onde estudava, sabia até que ele comprava pasta de dente da marca própria do mercado e achava ruim. Mas continuava comprando porque era mais barata. Eu sabia até que ele ia ser mandado embora, ele contou que arrumou encrenca com a supervisora. Na semana seguinte, não estava mais lá. E até aí tudo bem.

O problema é quando a linha entre os clientes e os caixas fica muito tênue, praticamente inexistente. Enquanto passa as suas compras, a caixa fica reclamando da outra caixa pro empacotador. E você ouvindo. “É uma vadia, chega todo dia atrasada e fica de cara feia o dia todo”. Enquanto passa as suas compras, a moça do caixa fica contando pro empacotador sobre a noite passada. Ela foi no dance club do bairro e pegou um cara. Os dois dão risada. Ela comenta que queria mesmo era pegar o segurança, que ele a chamou pra sair mas ela está se fazendo de difícil. Ela fala que “aquele ali deve ser bom de cama”. E daí já viu, é só ladeira abaixo. “A Jandira do frigorífico pegou, esse daí tá rodando o mercado inteiro”. Os dois riem. “Mas eu não me importo de pegar baba das outras”. Os dois riem. A maquininha apitando: pi, pi, pi, as compras sendo empacotadas. “Pra esse daí eu libero tudo, até o… crédito ou débito, senhora?”

Advertisements

5 Responses to “Amenidades: supermercado”

  1. Nadja G. June 10, 2011 at 10:29 pm #

    HAHAHAHAHA

  2. Caminhante June 11, 2011 at 2:08 am #

    Você se constrange? Eu acho super legal.

    • Paula Schutze June 13, 2011 at 1:02 pm #

      eu fico constrangida sim. sorriso amarelo permanente nessa hora.

  3. Fabiana Ferraz July 1, 2011 at 1:26 pm #

    Nossa, é uma das coisas que mais me irritam. E isso acontece com atendente de qualquer lugar que a gente vai.

  4. Oksana July 12, 2011 at 8:32 pm #

    Acontece sempre comigo no salão de beleza. A manicure fala com tanto ódio da colega biscate que temo que ela desconte arrancando bifes dos meus dedinhos indefesos.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: