cética sim. e daí?

5 Aug

em fases turbulentas, como já diziam nossos avós, é que a gente aprende coisas importantes da vida. a velha conversinha de tirar algo de bom disso tudo. percebi por estes dias que eu sou uma pessoa cética. eu custo a acreditar em coisas não presenciais. só consigo acreditar naquilo que vi, que toquei ou que alguém muito próximo vivenciou. e isso serve pra tudo, guerras mundiais, crises econômicas, homem na lua (haha, como eu poderia estar lá, né?) e, claro, pandemias. a única coisa na qual eu acredito é na minha fé, algo muito pessoal e que não convém citar aqui.

fico observando as janelas à minha volta e me comovo somente com aquilo que é do meu mundo. o mundo de cada um é tão pequeno, e é só o que faz sentido. sua família, seus amigos, seu trabalho, sua casa, sua hora do banho, suas músicas e filmes, os livros que você lê pra pegar no sono. o mundo lá fora não se importa com nada disso. não vai parar de girar se você perder alguma dessas coisas. então por que é que a gente tem tanto medo desse mundo que, na prática, só existe na televisão, nas revistas de viagem e nos relatos de gente que mal conhecemos? por que choramos a morte do michael jackson se doloroso mesmo é perder um ente querido? por que tememos a gripe suína quando um câncer na família se constitui num problema real?

as pessoas andam pela rua apavoradas – hoje no caminho para o escritório cruzei com gente usando máscaras – enquanto eu custo a acreditar em tudo, seja nas estatísticas oficiais ou naqueles e-mails cheios de dados que entopem nossas caixas diariamente. custo a acreditar que a coisa tenha o tamanho que dizem ter: quantos de vocês conhecem alguém que foi afetado pela pandemia? custo a acreditar q a crise econômica mundial já dure um ano: onde foram parar todas as cédulas e moedas de um mundo onde o dinheiro simplesmente sumiu? custo a acreditar que agora, e somente agora, aconteçam tantos acidentes envolvendo aviões e barcos. o que eu vejo hoje – e nisso eu acredito, porque está dentro do meu mundo – é uma tela de tevê e uma de computador, absurdamente cheias de informações, notícias que se atualizam a cada segundo. e se nada disso existisse? e se nada disso existir? se o mundo for exatamente isso: você na sua casa oferecendo um jantar aos seus amigos, indo buscar seus filhos na escola e fazendo uma viagem de final de ano para conhecer outro pedaço de mundo que está logo ali? e se for isso e nada mais, qual o problema?

Advertisements

2 Responses to “cética sim. e daí?”

  1. brenogodoy August 5, 2009 at 11:11 pm #

    MENSAGEM ORIGINALMENTE ENVIADA À MINHA TURMA NA FACULDADE DE MEDICINA, DA UNIVERSIDADE DEFERAL DO PARANÁ, CUJAS AULAS TIVERAM A SUSPENSÃO PRORROGADA ATÉ O DIA 17 DE AGOSTO DE 2009.

    Oba, todo mundo passando o Natal no HC e fazendo finais no réveillon!

    Sério, gente, a realidade lá não é o caos, o dia do julgamento, a viagem esquizofrênica apocalíptica. Os serviços continuam funcionando. Fiz plantão das 7 às 15:20 ontem, nem os pacientes dentro do HC usam máscaras. Só alguns, que têm sintomas respiratórios. Quem dirá os médicos (excetuando-se os do PA)!

    Vão (leia-se Magnífico Zaki Akel) prorrogar até quando? 21 mortes no mesmo dia. Que besteira da VEJA. 21 resultados de positivação da RT-PCR divulgados no mesmo dia. Vejam as doenças prévias, pulmonares, metabólicas, comorbidades. Mesmo que jovens, fora do “padrão comum”, dificilmente hígidos, srticto sensu. Cadê os números da OMS, DATASUS?

    Mesmo a secretaria de saúde da prefeitura está sendo retardada na divulgação de fatos e dados, ao contrário da mídia escandalosa e panaroica que se alvoroça por migalhas de desinformações! Sim, já vi na TV o aconselhamento de uso de máscaras na rua! Que lástima! 1,5 metros de distância de um contaminado garante a minha proteção, mesmo que sem nada. As gotículas não voam! Elas são lançadas e caem nas superfícies. Não há formação de microaerossóis! Não estou subjulgando a inteligência de vocês, caros colegas, apenas complementando o meu argumento.

    Bem, então tomemos os “aumentadores de imunidade”! Quem conseguir isso com doses de polivitamínicos, “enterofigons”, “engovs”, florais, homeopatia, será considerado um gênio, pois descobriu a cura para a AIDS, já que os pacientes sofrem da perda do sistema imune! É tanta besteira sendo proferida em farmácias e nas ruas, ou mesmo as pessoas perguntando, que chega a ser revoltante.

    Como ficará o nosso estágio similar e equivalente ao internato ao fim do ano no HT e na Maternidade? Muitos de nós (incluo-me no grupo) queremos essa oportunidade a fim de se abater um décimo terceiro período, para as residências concorridas em SP.

    Poxa, 2 semanas é algo bastante impactante! E será completamente ineficaz se ficar nesse sistema de semiaulas como tínhamos, com seminários substitutivos! O que fazer com as matérias eminentemente, senão exclusivamente, práticas? Que tenhamos aulas integrais! A ***** do H1N1 existe há um bom tempo já, esse vírus diferencia-se 7% das enzimas marcadoras normais, não há componente H3, muito menos N5. A estatística continua a mesma, de morbidade e mortalidade, AINDA QUE o grupo primariamente afetado em evidência NO MOMENTO tenha sofrido mudanças – afetando TAMBÉM adultos jovens.

    Era previsível uma pandemia global, desde o último surto mutante em 1977. Podem procurar no CECIL e no HARRISON’S, esta informação está lá: dizia-se mais – seria iminentente. O vírus ainda estará entre nós por pelos menos 2 temporadas até que seu genoma sofra uma certa estabilização. As vacinas só chegarão ao Brasil em abril de 2010 (segundo o próprio Ministro Temporão), já que os lotes ainda nem fabricados pela Novartis ® já foram adquiridos pelos EUA e outros países. E quando a vacina chegar, quem será elegível à sua aplicação? Todos?

    Lembram-se da resistência ao olsetamivir nas cepas isoladas nos EUA na última estação de inverno? Extremamente alta! Para um remédio sintomático, inibidor da fusão viral somente, não curativo, tido como a panaceia, pela mídia!

    O outro laboratório até agora não se pronunciou para a comercialização do zanamivir no Brasil. Por quê?

    Usar amantadina sabiamente é ineficaz. A maioria dos casos têm boa evolução mesmo sem tratamento. Não falamos dos casos isolados, do número aumentado de casos identificados? Lembram-se de VPP e VPN, dadas as especifidades e sensibilidades dos métodos. É exatamente isso que estamos vivendo! As palavras da professora Eleusis ainda ressoam na minha cabeça, imagino que nalgumas das usas também.

    Estudos extremamente mal-elaborados indicam déficit neurtológico em crianças (vi-os pela SkyScape, n pequeno, viéses e mais viéses, de todos os gêneros. Vou achar os links e passar-lhes.

    Agora nossas aulas sendo PROTELADAS para um evento INEVITÁVEL! Vocês sabem, a circulação tem esse padrão e chegará a afetar todos eventualmente. Se fosse o retorno do Ebola, tudo bem, acho que ninguém discutiria. Mas a imprensa vem soltando muitas notícias idiotas (não me desculpo pela palavra, pois ela é adequada). Já viram a dieta da Gripe Suína (fique imune ao vírus e ainda emagreça 2 quilos!)? Já viram falácias em grandes revistas de circulação nacional? Máscaras N95 na primeira página do americanas.com? Fontes confiáveis, NEJM, BMJ, AMJ e outros não estão apavorados assim. A própria Organisation Mondiale de la Santé Animale (OIE) não está aterrorizada e de máscaras! Nem o CDC!

    Todo mundo em casa se preparando para voltar e…. contaminar-se… Que legal… Nem vou falar de quem já tinha planos pessoais ou acadêmicos para o fim do ano!

    Desculpem-me, julguem-me como julgar, mas isso virou PARANOIA, haja vista que essas medidas de “eliminar vetores sustentados” SÃO ineficazes (vide exemplo do México e do alastramento na União Europeia). Se for assim, que esperemos até abril, isolados, pela vacina feita a partir de vírus coletados agora, que provavelmente não será tão efetiva quando da sua aplicação.

    Leiam os capítulos sobre Influenza nos livros de referência, procurem no PUBMED. Não estou atacando em hipótese alguma nossos colegas que sofreram contaminação ocupacional. Espero que o Émerson, Thiago e Glauco estejam bem! 10 dias, e os vetores adultos não são mais transmissíveis. Cadê a justificativa agora? Para que tanto tempo de pseudoisolamento?

    As aglomerações não são evitadas, eu saí o fim de semana todo (podem jogar pedras à vontade, mesmo!), os shoppings estão cheios, os cinemas estão cheios, os cafés estão cheios, as crianças não estão em casa. Seja com o frio, com as IVAS, com a gripe sazonal, com as mudanças de estações, o vírus continuará aqui. PONTO. NO MÍNIMO, 2 CICLOS. PONTO. É comum haver esse pico, e uma súbita retirada de circulação. Vejam as antigas pandemias como referência.

    Enfim, concluo. Julgo (já que me é um direito de liberdade) a atitude de suspensão ineficaz a médio e longo prazo, uma vez que o vírus não será afetado pela medida, e sim, as pessoas, ultimariamente prejudicadas.

    Agora venham crucificar-me de ponta-cabeça pelas aglomerações, profanações, blasfêmias, motim e manias. À disposição! Aceito excomunhão (sonho de infância, de preferêncioa do Papa em pessoa, se possível)!

    Ironias à parte, dominações da CIA e textos esquerdistas extremistas niilistas. Não embasei-me em nada deles, nem em textos leigos. Expressei-me somente. Boas férias a quem chegou até aqui, ao menos!

    Abraços

    Breno

  2. Thiago August 10, 2009 at 2:44 pm #

    acho que a crise económica e a gripe estão juntas para anunciar a terceira guerra mundial.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: